quinta-feira, 29 de maio de 2014

Suicídio: mitos e verdades:

Este site é voltado principalmente para pessoas que já tentaram ou pensam na idéia de que o suicídio, ou seja, a morte é a saída para a solução de seus problemas ou para a sedação ou exterminação da sua dor.
Para algumas pessoas, em determinados momentos da vida, pensar na morte como a única saída para uma situação de sofrimento intolerável, talvez pareça a única solução possível. Quando uma pessoa se sente no limite, de tal forma angustiada, desesperada e sem esperança, é compreensível que considere que prescindir do direito de viver, apesar de constituir uma solução trágica, parece ser a melhor forma de lidar com uma situação que, naquele momento, é tão avassaladora e dolorosa. É como se sentisse que está perdida num labirinto completamente escuro, como se todos os caminhos que permitem o acesso às portas de saída deixassem de existir, e quem mesmo que tentasse percorrer um desses caminhos, isso apenas resultaria em mais um esforço inútil, pois não só encontraria as portas completamente trancadas, como não teria disponíveis as chaves adequadas para as abrir.




Vamos então fazer uma espécie de “bate bola” a fim de esclarecer algumas verdades e equívocos sobre a ideação suicida (isto é, a intenção de suicidar-se) e o que se sabe na literatura mundial sobre todos os indivíduos estudados e que, em algum momento de suas vidas tentaram suicídio.

1)      Ninguém sabe o que eu estou passando e essa “dor na alma”, essa angústia”, só eu sinto.
Isso é um mito. Pode ser que você consiga disfarçar seus sentimentos na maior parte do tempo. Isso pode ser , em parte, verdade. Mas pode ter certeza que nesse momento muitas pessoas no mundo, por diferentes motivos, estão em uma situação semelhante a sua. Ou seja, você não é o único, nem está sozinho na sua dor emocional.Você pode querer se isolar. O que é uma péssima idéia, pois assim alimenta sentimentos de menos valia e solidão que só pioram seu estado mental naquele momento. A mente é como um rádio. Quando sintonizamos uma freqüência negativa, só sentimos coisas ruins, assim com quando o rádio só toca músicas tristes se você só deixa ele naquela estação que toca músicas melancólicas. É como só aquilo existisse. A realidade, você é quem cria e o poder da mente está em suas mãos.

2)      Suicidando-me vou aliviar meu sofrimento e resolver meus problemas.
Mito. A maioria das pessoas que sobrevivem a uma tentativa de suicídio se arrependem de ter tentado. Isso quando felizmente sobrevivem.

3)      Meu problema não tem saída nem solução.
Mito. Geralmente as pessoas que tem idéias suicidas encontram-se deprimidas, mesmo que não saibam. Precisam tratar alguma disfunção química momentânea no cérebro com antidepressivos com um psiquiatra (que não é médico de maluco, por favor...!) ou mesmo com a ajuda de um psicólogo ou ambos os profissionais. Depois que a tempestade negativa passa, as idéias suicidas desaparecem e você até se questiona como teve idéia absurda de tirar a própria vida. Nosso cérebro é um pouco parecido com o de um computador e muitas vezes temos que reprogramar nosso software para abrir caminhos para novas alternativas de solução de problemas e nisso os profissionais de saúde da área de saúde mental (psiquiatra e psicólogo, que são treinados para isso) ajudam muito.

4)      Quem pensa em suicídio já tentou de todas as maneiras em resolver seus problemas e não encontrou solução.
Mito: quem tenta suicídio não conseguiu modos saudáveis de resolver problemas, pois estava imerso neles a maior parte do tempo, afundando neles como em areia movediça.

5)      Só as pessoas covardes tentam suicídio, pois não conseguem enfrentar a vida.
Mito. A maioria das pessoas que tentam suicídio está com problemas de depressão e nem sabe disso. Precisa de ajuda medicamentosa, de um médico psiquiatra, e de aconselhamento psicológico, pois o depressivo só consegue ver o lado negro da vida, o que o impede de visualisar decisões otimistas.



Nenhum comentário:

Postar um comentário